Gurgel Motores e a conspiração automobilística internacional

Teoria da Conspiração Nenhum comentário em Gurgel Motores e a conspiração automobilística internacional

João Augusto Conrado do Amaral Gurgel, que em 1969 montou a fábrica da GURGEL, com a proposta de produzir veículos 100% nacionais. Era um homem visionário, o qual sonhou que poderia rivalizar com grandes montadores, acreditou em nosso país e em nossos governantes, investindo tudo que tinha no seu sonho.

Infelizmente João Gurgel havia nascido no país errado.

teoriaconspiracaogurgel1

Muito a frente de seu tempo, ele produziu veículos compactos, de fibra de vidro, que faziam 25 km/litro, veículos elétricos, e isso em 1980, baratos em comparação com os estrangeiros, hoje algo em torno de R$ 12.000,00. Era crítico do programa Pró Álcool, pois na sua concepção as imensas fazendas produtoras de cana de açucar deveriam produzir alimentos para o povo e não combustível para carros, por isso era adepto do carro elétrico, entretanto seu maior erro foi acreditar nas autoridades e governo brasileiro.

O povo já tem o péssimo hábito de depreciar o produto nacional, por isso ser empreendedor no Brasil é algo extremamente difícil, pois aqui além da burocracia excessiva, alta carga tributária, corrupção e muito lobby a favor das grandes multinacionais, ainda mais na área automobilística, onde há um verdadeiro cartel (grupinho fechado de montadoras que assemelham seus preços), por isso que tomando como exemplo, Pálio, Gol, Fiesta, Corsa, são todos nas mesmas faixas de preços, e isso vai dos carros “populares” aos mais caros.

Por esse lobby também há uma super taxa dos concorrentes importados, coisa de 70%, o que não seria um absurdo se o carro aqui no Brasil fosse um preço razoável, mas não. Aqui se compra o carro mais caro do mundo, sendo um verdadeiro paraíso para as grandes montadoras, pois aqui elas estipulam os preços que querem, fazendo lucros abusivos sobre os valores dos carros.

Retornando a Gurgel, seus carros faziam sucesso ainda moderado, mas era só o começo e em pouco tempo aumentaram a produção dos veículos.

gurgel

Com o sucesso, Gurgel quis alçar objetivos mais altos, tomando altos empréstimos para isso, assinou um termo de intenções com o então governador Fleury SP e o governador Ciro Gomes CE, imaginando que os governos apoiariam o produto nacional, entretando, curiosamente negaram o prometido aporte financeiro ao empreendimento nacional, na mesma época surge o famigerado Plano Collor, confisco de poupanças, greves portuárias, tudo parecia tramar contra Gurgel e seu sonho.

O governo ao invés de favorecer o nacional, reduz o IPI para carros com menos de 1000 cc, surgem assim concorrentes de peso, o Fiat Uno Mille e Gol 1000.

Sem o apoio do governo, a Gurgel pediu concordata em junho de 1993.

Em uma última tentativa de salvar a fábrica, em 1994, foi feito um pedido ao governo federal para um financiamento de US$ 20 milhões à empresa, mas este foi negado, inacreditavelmente o então presidente Itamar Franco, preferiu apoiar o retorno do Fusca, pois queria um veículo “popular” e “barato” para a população em geral, ao invés de investir nos carros da Gurgel, dando golpe de misericórdia no empresário, assim a fábrica foi declarada falida em 1994.

gurgelfalida

O boicote feito contra a Gurgel Motores, é algo muito claro, ele foi vítima da conspiração e da pressão do cartel estrangeiro aqui atuante, em conluio com certos governantes acovardados e entreguistas que, na ‘hora H’, negaram o prometido aporte financeiro ao empreendimento nacional, e também a omissão da grande imprensa e de seus formadores de opinião, bem como o arraigado preconceito da nossa gente com produtos que não sejam estrangeiros, acabando assim com um sonho de um visionário, que devido aos fatos narrados, abatido pela dura realidade de nosso país, veio a adoecer, sofrendo do mal de Alzheimer havia oito anos, morreu 2009, aos 82 anos, praticamente caiu junto com sua empresa.

No final das contas, vemos hoje em dia os resultados de um plano maquiavélico, acordado entre o governo da época e os grandes empresários da indústria automobilística estrangeira para sanar qualquer crescimento da indústria nacional de carros.

Se pararmos para pensar que não só os preços dos automóveis seriam bem menores no Brasil, mas que também estaríamos a quase 20 anos evitando a queima de combustíveis fósseis, podemos concluir que o governo não somente criou um problema financeiro com o caso, mas também colhe hoje em dia o resultado da falta de consideração com o meio ambiente.

Fonte: Sociedade Olho de Hórus

Você leitor, acredita que se o governo tivesse investido na industria automobilística nacional e em planos de veículos movidos a energia elétrica ao invés de combustão, hoje, a realidade do Brasil seria outra?

Comentários

O Desocultando é um agregador de conteudo singular que tem como principal objetivo centralizar e divulgar informações
relacionadas ao oculto, o sobrenatural, ciência, conspirações, contatos extraterrestes e mistérios em geral.


Desocultando | Aqui o oculto é revelado © 2020.


n

Back to Top